quarta-feira, 30 de novembro de 2016

NATAL NAS ASAS DO ARCO-ÍRIS

Aproxima-se o Natal na cidade cinzenta, onde as pessoas andam demasiado ocupadas e sem tempo para reparar na tristeza das crianças, até que aparece alguém especial para dar cor à cidade e ao coração dos seus habitantes.

Ilustração Sandra Serra

As 43 crianças do Centro Infantil Arco-Íris da Marinha Grande, que nos visitaram esta semana, também ajudaram a dar cor e alegria à história de Alice Cardoso, ilustrada por Sandra Serra.









Na nossa sala infantil, cenário de tantas histórias, caiu neve de todas as cores, para alegria de crianças e adultos.






Faz como os meninos do Arco-Íris
vem descobrir a personagem especial que transformou a história e lhe deu cor e cantar canções de Natal.











sexta-feira, 25 de novembro de 2016

MESTRE OUTONO

"Para norte, para sul
Qual será a direcção?
As andorinhas no Outono
Afinal para onde vão?
Voam para sul
Mas um dia hão-de voltar
Vão à procura do calor
Que o frio está a chegar"


in, Uma aventura no Outono
de Nuno Miguel Caravela
Não são apenas as andorinhas que no outono fazem uma grande viagem - a que se dá o nome de migração - que as leva para zonas mais quentes, defendendo-se, assim, do frio. Também as cegonhas partem em busca de calor, mas ao contrário das andorinhas, que viajam em grandes grupos, as cegonhas fazem-no aos pares ou mesmo sozinhas.
Animais como o esquilo e o urso, durante o outono, procuram tocas e cavernas para hibernarem no inverno. Os ursos dormem durante todo o inverno, assim como os esquilos, mas estes, acordam de vez em quando para comer o que armazenaram durante o outono.

Ilustração Kristina Swarner
No outono é habitual vermos algumas árvores deixarem cair todas as suas folhas, defendendo-se assim do frio do inverno que se aproxima. Ao largarem as folhas, estas não congelam e a árvore sobrevive ao frio. Quando o calor voltar as folhas irão nascer de novo.
No entanto, algumas árvores como o pinheiro, existente na nossa zona, mantém as suas folhas durante o ano inteiro, porque têm umas folhas especiais que lhes permite suportar o frio.
Se o tempo permitir, este fim de semana dá um passeio com os teus pais pela mata e tenta descobrir a idade das árvores.
É fácil perceber a sua idade pelo número de anéis que se vêm no tronco quando são cortadas, cada anel corresponde a um ano.

Ilustração Debbie Palen


"Porque caem sempre as folhas
quando chega o outono
Será que têm frio,
ou será que têm sono?
Eram verdes, estão castanhas,
quem as vê e quem as viu,
as folhas caem no outono
e as árvores ficam com frio."

                                                                                                          Elsa Filipe















sexta-feira, 18 de novembro de 2016

ESTA SEMANA FOI ASSIM ...

"Era uma vez uma família:
um pai, uma mãe e dois filhotes,
que por mais que os pais pedissem
- Não nos partam a mobília!!! -
só faziam tropelias e passavam
o tempo aos pinotes."



Foi com esta história d´ "A família dos macacos", 
de Rita Taborda Duarte, 
que começou a Hora do Conto esta semana, para as
99 crianças do Jardim de Infância de Casal de Malta,
que nos visitam todos os meses, durante o ano letivo.






Outras histórias se seguiram, pois estas crianças não vinham para andar aos pinotes, mas sim, para ouvir algumas das muitas histórias engraçadas que temos na Sala Infantil, destinadas à sua faixa etária.
E é sempre com carinho e prazer que as contamos a este público atencioso, mas também exigente.
A próxima visita já ficou agendada para o mês de dezembro, onde irão ser recebidas pelo Pai Natal.






segunda-feira, 7 de novembro de 2016

UF, QUE PREGUIÇA

O início da semana é sempre complicado, por muito que se goste do que fazemos na escola ou no trabalho, a 2ª feira não é um dia muito simpático.

Ilustração Jim Madsen

No entanto, hoje, 2ª feira, 7 de novembro, não descuidando os nossos deveres, não podemos deixar de assinalar o
DIA INTERNACIONAL DA PREGUIÇA

A intenção de criar este dia é lembrar que o descanso é importante para o nosso bem estar, quantas vezes não é melhor não fazer mesmo nada do que insistir em fazer algo que naquele momento não nos apetece ou motiva. Por isso, aproveita o dia para poupar energia.

Não fazer nada sem nos aborrecermos, também é uma arte.

Vai até ao parque, deita-te na relva, espreguiça-te a admirar o andamento das nuvens e a sentir o vento na cara.

Ilustração Richolly Rosazza
Dorme a sesta.
 Faz uma pausa entre os deveres da escola.
 Sabes que existe um animal chamado preguiça?


É um mamífero que vive nas florestas tropicais da América do Sul, América Central e Mata Altântica. Vive em pequenos grupos, mas possui alguns hábitos solitários. Tem um peso entre 4 a 6 Kg e mede aproximadamente 70 cm. Possui grandes garras, que utiliza para subir e permanecer na copa de árvores de grande porte, onde passa maior parte da vida, descendo para o chão uma vez por semana para fazer as necessidades fisiológicas. A preguiça dorme 14 horas por dia e os seus movimentos são muito lentos. Orienta-se principalmente pelo olfato, porque a sua visão é pouco desenvolvida. Tem uma duração de vida entre 30 a 40 anos.







segunda-feira, 31 de outubro de 2016

HALLO BRUXAS

A festa de Halloween, não sendo uma tradição portuguesa, rapidamente foi adaptada no nosso país como Dia das Bruxas, sendo comemorada por pequenos e grandes, que se fantasiam, na noite de 31 de outubro, com máscaras e trajes assustadores, apenas com o intuito de se divertirem.

Ilustração Shawna JC Tenney

Relembra aqui, o que já dissemos sobre esta festa.


Por todo o mundo existem festas com nomes diferentes, mas com aspetos semelhantes ao Halloween.

Nalguns países africanos existe a Dança dos Egunguns. O termo Egungun significa mascarado, sendo costume usar a forma Egun, que significa: osso, esqueleto.

No Japão, o Festival Obon, que consiste numa dança folclórica de participação coletiva e popular, chamada Bon Odori.



Andava certo dia El-Rei a passear nos jardins do seu palácio quando ouviu o ruído de um motor. Olhou para o céu e viu a Bruxa Zanaga, que tinha um olho para cada lado, montada na sua vassoura, tentando aterrar ali mesmo nos jardins.
  - Viva quem é a flor das Bruxas! - disse o Rei. Porém a Bruxa não vinha para graças:
  - Sabes de onde venho? - perguntou ela mal desceu da vassoura. - Acabei de fazer o meu exame final.
  - Espero que te tenha corrido bem, para vires a ser a Rainha das Bruxas!
  - Tazbrenhaxa! - respondeu a Bruxa piscando os olhos vesgos. - Querem chumbar-me!!! Dizem que eu sou a Bruxa mais cábula do País! Eu estudo ... palavrinha que estudo, mas este meu defeito da vista ... quando tenho um olho a olhar para o livro, o outro está sempre a olhar para outro sítio qualquer!!!... Mas eu sei ... Palavrinha que sei ....
  - Então é embirração dos professores ... Se calhar invejas ... Há sempre invejas à volta de uma pessoa tão esbrenhuxa como tu!
(...)
  - O exame não me correu muito bem ... Eu sabia ... mas tive azar! Na prova da vassoura sem motor não fui capaz de meter marcha atrás ... e depois, na prova escrita, pediram-me aquela fórmula, muito conhecida, de adormecer uma Princesa durante cem anos, e eu que a tinha na cábula, mas não a pude consultar, zás!, escrevi aquela de fazer crescer as orelhas de burro!!!

in A Bruxa Zanaga,
de Margarida Castel-Branco




Ilustração Cécile Becq





VAIS GOSTAR TAMBÉM DE:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger..."